quinta-feira, 30 de junho de 2016

Museu de História Natural realiza 1º Fim de Semana do Museu com diversas atrações

O evento inicia a programação dos fins de semana do museu
Graziela França- estudante de Jornalismo
Um espaço de conhecimento, pesquisa, mas também de cultura e diversão. É assim que o Museu de História Natural da Ufal tem se mostrado. E para se aproximar ainda mais da comunidade alagoana, o MHN passa a abrir no primeiro fim de semana de cada mês, apresentando programação variada.
Para iniciar as comemorações, o MHN promove o 1º Fim de Semana no Museu que contará com apresentações artísticas e culturais, durante os dias 2 e 3 de julho. As exposições estarão disponíveis das 9h às 17h, e as apresentações acontecerão das 13h às 17h. O evento foi idealizado pela museóloga, Cíntia Rodrigues, junto à responsável pelo Setor de Herpetologia, Selma Torquato.
“Durante a semana, é difícil pra muitas pessoas organizarem o tempo e vir até o espaço, por conta do trabalho e de outras atividades. É um momento em que as famílias geralmente estão juntas e podem desfrutar dessa oportunidade, atende o pedido também de muitos visitantes que comentam ou nos enviam mensagens sempre tocando nesta questão da abertura aos fins de semana”, acrescenta a museóloga.
Além das exposições do MHN (permanente - Alagoas: do mar ao sertão; fotográfica - Cores que saltam, cores que rastejam), o visitante poderá participar de oficinas, apresentações musicais e teatrais nos dois dias do evento, que é destinado ao público de todas as idades.
Atrações culturais
No sábado, 2, as atrações musicais são Cris Marttins e banda e a banda de rock Oldscratch, que encerrará as apresentações culturais do dia. Já no domingo, 3, é a vez da apresentação teatral promovida pelo grupo Trans Show, com a atração Resenha Julhina. As inscrições para participar das oficinas será realizada momentos antes do início das atividades, o número de vagas é limitado, então os participantes devem chegar mais cedo.
O evento é gratuito e acontecerá na sede do MHN, localizada na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade). No local serão vendidas comidas típicas, além de réplicas de peças do museu e outros itens confeccionados pelos membros do MHN. O dinheiro arrecadado com as vendas será revertido aos setores do museu.
Confira a programação:

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Resultado do Prêmio Gabriel Skuk de Fotografia e Ilustração Científica

Confiram na imagem a seguir os ganhadores dos Prêmio Gabriel Skuk de Fotografia e Ilustração Científica.

A data da premiação será divulgada em breve, aqui no blog e na página do MHN no facebook 

Agradecemos a todos os participantes! 

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Museu de História Natural promove exposição fotográfica sobre anfíbios e répteis

Animais presentes nos biomas de Alagoas serão apresentados na exposição que começa na Semana Mundial do Meio Ambiente


Graziela França - estudante de Jornalismo
Anfíbio encontrado na Estação ecológica de Murici.
Foto: Willams Fagner

O Museu de História Natural da Ufal (MHN) abre, a partir da próxima terça-feira (7), a exposição fotográfica sobre a diversidade de anfíbios e répteis em Alagoas. Cores que saltam, cores que rastejam apresenta fotografias de animais encontrados na Mata Atlântica e Caatinga alagoana e suas variedades ecológicas.
O objetivo da exposição é tornar as espécies destes animais conhecidas, além de desmistificar conceitos atribuídos a eles. Segundo a professora Selma Torquato, responsável pelo setor de herpetologia do MHN, e o estudante de biologia Willams Fagner Soares, curador da exposição, nesta primeira mostra serão mais de 20 espécies diferentes fotografadas.
Em alusão à Semana do Meio Ambiente, os organizadores optaram por utilizar molduras e suportes reciclados. “Vamos associar a reutilização à exposição fotográfica utilizando lixo eletrônico, que no caso são os monitores quebrados que conseguimos” explicou Selma Torquato.
Além de chamar a atenção para a importância desses animais, a exposição também aborda questões como educação, conservação e reutilização de materiais, além de fazer uma crítica de forma criativa ao estilo de vida voltado para o ambiente digital.
Fotografia e ciência
A fotografia é instrumento de sensibilização e educação e, quando aliado à ciência é uma excelente ferramenta de divulgação também. “O apreço que a população tem por fotografias e a histórica falta de acesso ao conhecimento da biodiversidade pela população são alguns dos motivos que tornam a fotografia científica uma ferramenta com tanto potencial”, enfatizou Willams Fagner.
Em Alagoas, existem cerca de 190 espécies de anfíbios e répteis registrados. Estes animais refletem um mosaico de formas e cores. Mas, a maioria é desconhecida pela população em geral. Sua importância nos processos ecológicos acontecem em vários níveis e o conhecimento auxilia, inclusive, em questões de saúde pública.
A exposição começa às 14 h e funcionará diariamente das 9 h às 17 h, na sede do MHN, localizado na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade).