terça-feira, 30 de agosto de 2016

Museu de História Natural realiza 3° Fim de Semana no Museu com diversas atrações

Nesta edição do evento serão comemorados o Dia do Biólogo e o início da Primavera

Graziela França- estudante de Jornalismo

O Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realiza nos dias 3 e 4 de setembro o 3° Fim de Semana no Museu. O evento busca atrair a comunidade alagoana para conhecer aspectos da biodiversidade do Estado, participar de atividades que visam integrar o público a questões de preservação da natureza, além de conhecer as exposições do MHN.
Esta edição do Fim de Semana no Museu traz atividades de preservação, conservação e conhecimento da biodiversidade alagoana. Além de diversas atrações culturais com música, dança e teatro. “Estamos realmente interessados em envolver os visitantes com atividades que suscitam a participação ativa deles, tais como jogos, oficinas e atrações culturais diversificadas”, comentou Carlos Correia, biólogo do setor de Botânica.
O público infanto-juvenil conta com programação especial com o intuito de desenvolver a consciência ambiental. “Visitar museus de história natural é importante para semear nas crianças uma consciência da integração humana no meio ambiente, ou seja, o ser humano como parte da natureza”, disse Ludmilla Nascimento, responsável pelo setor de mamíferos (mastozoologia) e uma das organizadoras do evento.
Atrações e novas exposições
Além das oficinas, atividades e atrações culturais, haverá a abertura de duas novas exposições: Profissão Biólogo, que homenageia biólogos alagoanos em suas diversas áreas de atuação; e Planticidades, que fala das plantas que deram origem a nomes de cidades de Alagoas. Os temas das exposições também comemoram o dia do Biólogo, 3 de setembro, e o início da Primavera, dia 23 de setembro.
Já no domingo, atrações culturais e artísticas integram a programação do museu, além de uma roda de conversa especial com o cantor Wado, que falará sobre a relação entre as artes e a natureza, e como as flores e plantas influenciam em seu trabalho.
O Fim de Semana no Museu acontece sempre nos primeiros finais de semana de cada mês, na sede no MHN, localizada na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade). As atividades são gratuitas e voltadas para o público de todas as idades.
Confira a programação completa no anexo

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Museu de História Natural promove 2º Fim de Semana no Museu


Programação terá lançamento de novas exposições voltadas para a Arqueologia
Graziela França- estudante de Jornalismo

Após o sucesso da primeira edição, nos dias 6 e 7 de agosto, o Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realizará o 2º Fim de Semana no Museu. O evento conta com variada programação que aborda, de maneira ampla, o trabalho arqueológico. Além disso, haverá atrações culturais e artísticas e inauguração de duas novas exposições.
Durante dois dias, terão diversas apresentações com a temática cultural da literatura de cordel. Muita música, dança, oficinas para todos os públicos e teatro de fantoche infantil, vão ressaltar a importância do trabalho arqueológico e da preservação do patrimônio cultural para o conhecimento e a identidade de um povo.
O evento foi organizado pela arqueóloga do MHN, Mayana de Castro, que conta com a parceria de membros do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Núcleo de Ensino e Pesquisa Arqueológico (Nepa) da Ufal. O objetivo é apresentar à comunidade aspectos diversos da Arqueologia em Alagoas, além de ressaltar a importância da valorização da cultura para o Estado.
Segundo a arqueóloga do MHN, eventos que divulguem a área são importantes para que as informações não fiquem apenas no âmbito acadêmico e científico. “O patrimônio cultural é de todos, então todos devem ter a oportunidade de conhecer e entender sobre os seus bens culturais, para, consequentemente, se identificar, valorizar e preservar seu patrimônio cultural”, destacou Mayana.
Novas exposições
No 2º Fim de Semana do Museu acontece também a abertura de duas novas exposições arqueológicas, sendo uma de artefatos e outra fotográfica. A exposição de artefatos Alagoas Arqueológica conta com materiais disponibilizados pelo Nepa da Ufal e apresentará diversos elementos da Arqueologia em Alagoas. Já a exposição fotográfica O que o arqueólogo faz?mostra por meio de imagens como acontece o trabalho de um arqueólogo.
O MHN fica localizado na Av. Amazonas, no Prado (Praça da faculdade), e funciona das 9h às 17h. As inscrições nas oficinas serão realizadas antes do início da atividade e a participação nas atrações do evento é gratuita.
Confira a programação no anexo.

Paleontólogo da Ufal participará da exposição ‘Os gigantes da Era do Gelo’


Evento destaca a importância da paleontologia em Alagoas
Graziela França- estudante de Jornalismo

O Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) participará nesta quinta-feira, 4 de agosto, de um evento realizado no Parque Shopping, em Maceió. O professor Jorge Luiz Lopes, diretor do MHN e responsável pelo setor de Paleontologia, realizará palestras, com outros membros do setor, na exposição Os gigantes da Era do Gelo, que apresenta réplicas perfeitas de animais que viveram nessa época.
As palestras serão gratuitas e acontecerão às 10h30, 16h e 19h. Durante as sessões, serão apresentados aspectos importantes da paleontologia em Alagoas, assim como alguns fósseis presentes no acervo do setor do MHN. No dia do evento, as visitas à exposição terão valor promocional de R$10.
Para o professor Jorge Lopes, eventos como esses são importantes pelo caráter de divulgação e incentivo ao conhecimento. “A importância é referente ao conhecimento de nossa pré-história e também dos eventos paleoclimáticos, paleoambientais e paleoecológicos. Também nos coloca no cenário da paleontologia nacional. A exposição ajuda divulgando a nossa profissão e mostra o que seriam esses seres caso não estivessem extintos”, enfatizou.
Segundo a gerente de Marketing do shopping, Mayara Diniz, esta época não é um assunto recorrente em Alagoas, embora desperte muitas curiosidades e mistérios que envolvam o Estado. “Esse foi o motivo pelo qual o Parque Shopping convidou o Museu de História Natural para esclarecer todas as essas dúvidas e curiosidades do público local”, disse.
O Parque Shopping Maceió fica localizado na Av. Gustavo Paiva, Cruz das Almas.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Bolsistas do MHN participam do 23º Congresso Nacional de Ornitologia


Evento acontece em Goiás e conta com apresentação de artigos dos estudantes
Graziela França- estudante de Jornalismo
Professor Renato Gaban-Lima, do LSEA, orientador dos bolsistas
Estudantes de Iniciação Científica do Laboratório de Morfologia, Sistemática e Ecologia de Aves (LSEA), vinculado ao Museu de História Natural (MHN) e ao Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS/ Ufal), participam do 23º Congresso Brasileiro de Ornitologia, que é realizado até a próxima quinta-feira (4), em Pirenópolis, Goiás. Essa edição do evento discute o papel das aves como grupo indicador em estudos de monitoramento ambiental, especialmente em avaliações de impactos sobre a biodiversidade. Os temas serão discutidos em palestras, mesas-redondas, seminários, apresentações orais e pôsteres.
Os estudantes Williams Oliveira da Silva e Priscilla Monteiro de Oliveira, do 8º período de Ciências Biológicas, participam do evento que reúne pesquisadores que atuam em diferentes áreas da ornitologia. Para os estudantes, é uma oportunidade de adquirir conhecimento, trocar experiências, conhecer projetos com temáticas variadas, se atualizarem em relação aos avanços da ciência, além de divulgar e debater a produção científica do LSEA.
Os trabalhos apresentados foram planejados e desenvolvidos para somar aos projetos do laboratório, que é coordenado pelo professor Renato Gaban-Lima. Esses estudos fazem parte de dois amplos projetos de pesquisa desenvolvidos pela equipe do laboratório: o Inventário e Catalogação das Aves de Alagoas: estabelecendo parâmetros regionais para análises de bioindicação; Anatomia e histologia comparada de siringes. Já o trabalho sobre as aves do Havaí, foi desenvolvido por Priscilla Monteiro no período em que participou do programa Ciência sem Fronteiras.
Os estudos sobre as aves da APA e do Parque Municipal foram realizados com colaboração de outros estudantes do LSEA e orientação do professor Gaban-Lima. “O incentivo do professor Renato foi essencial para a concepção, execução e conclusão das atividades de pesquisa, auxiliando de diversas maneiras, nos acompanhando no campo, orientando quanto aos métodos, análises e avaliações biológicas desde os resultados até a confecção dos resumos e banners para o congresso, sempre com muita dedicação e paciência”, enfatiza Williams Oliveira.